576 palavras

20140313-175946.jpg

O sol começa tocando meus pés, então me jogo na grama deito sob ele e ele me toca por completo, me aquece enquanto um vento fresco nesse momento sopra a leste,  o dia tem cores, gosto de dia de cores, me alimento delas. Estou sorrindo, talvez seja por que o mundo esta um caos e já não sei pensar em novas soluções, talvez não seja preciso encontrá-las, as vezes é preciso parar de buscar soluções, deixar que o fluxo da vida aconteça, as vezes meu capricórnio grita em mim, querendo resolver, trabalhar, organizar e eu deixo que ele faça, porque as vezes é bom organizar esse eterno caos que sou, mas logo meu eu capricórnio foge, acho que ele não agüenta muito tempo todo esse mundo de sentir que vivo, ele vive no racional, na verdade ele não foge, pois ele esta sempre aqui, agora, nesse instante, ele esta aqui porque sou tudo, sou mundo, sou universo, sou todas, mas também sou nada, sou o vazio. Agora estou sentada enquanto pensava sobre tudo isso, observava a árvore balançando devagar, e rápida, algo que me lembrava muito o contente, ela deve esta feliz com a brisa que a toca, ser feliz é tão simples e avassalador, que sinto medo de ser presa por ser feliz, imagine a noticia: Moça é presa por esta “portando” felicidade. Me lembro então do caos, por que esse mundo é tão capitalista? Por que eu quero fazer tudo? Por que mesmo eu não sou milionária e vivo somente executando as idéias e projetos de arte e de ajuda comunitária que penso? Por que, esses sempre ficam chegando na mente para que eu me lembre que ainda não realizei nada do que preciso. E enquanto eu estou aqui escrevendo, me lembro que deveria esta lendo um edital, fazendo um projeto, planilhas, lendo os livros, fazendo fichamento, vendo um vídeo respondendo um questionário, enviando um email, entregando uns documentos, agendando reuniões, respondendo e enviando emails, montando aulas, salvando músicas, lendo uma tese, almoçando, respondendo whatssap, dirigindo um ensaio, atualizando o outro blog, montando um edital, editando fotos, enfim… eu deveria fazer tantas coisas, mas resolvi vir aqui observar a vida e aproveitar esse sol nesse instante, sabe por que?  Porque a vida passa muito depressa para a gente ficar se matando pouco a pouco e atolados em compromissos eternos sem tempo para apreciar e respirar, respirar é tão gostoso e curativo, acho que depois de respirar o outro remédio mais curativo que existe é água, então aproveito esse pensamento e vou tomar toda minha garrafa de água, estou curada. Já posso voltar para tudo que deixei por fazer sem enlouquecimentos, tudo vai ser realizado em tempo hábil, tenho certeza que conseguirei, nada de truculência para terminar a tempo. Ser leve para mim, esse é o pensamento, nada de carregar amarguras, angustias demasiadas, ódio, rancor, raiva, por hora quero só o que me faz bem, o que é bom estimulo, que me traz coisas boas. É como aquele velho ensinamento budista diz “Enquanto vc fala de algo ocorrido você esta no passado, e quando fala de algo que vai ocorrer esta no futuro, mas quando se conecta com o aqui e agora eis então o momento que você esta no presente e só lhe cabe viver esse momento, nenhum outro, então viva-o por completo” e é nesse momento que escolho tudo dito até então. Pelas tantas palavras ditas, já é hora de finalizar essa escrita.

Por: Nininha Albuquerque

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s