(re)Pensar tecnologia

Desde que fui assaltada e me levaram o celular, resolvi dar um tempo antes de comprar outro, e agora por incrível que pareça começo a pensar seriamente se terei novamente um celular moderno, cheio de aplicativos. Eu que sempre amei a tecnologia e todos seus atrativos, sempre fui super conectada e de maneira alguma questiono o quanto é proveitoso todo seu uso, para quem trabalha com produção então! Uma mão na roda, mas aproveitei o acontecimento para fazer uma “desintoxicação” já havia percebido que me tornava pouco a pouco dependente demais do celular, tudo que ia fazer estava com ele na mão e voltada para ele, aquela velha cena de todos na mesa cada um com seu celular, ninguém se olha, conversa ou se relaciona com as pessoas do lado, pois então eu estava nesse grupo,mas depois que fui assaltada resolvi dar um tempo antes de comprar outro celular, primeiro para analisar qual aparelho melhor me atenderia e depois para dar um tempo, aprender a viver sem celular no mundo de hoje em dia é quase que como aprender a andar de bicicleta só que ao contrario, se é que me entendem (risos).

Neste texto quero retratar algumas coisas que aprendi nesses 3 meses sem celular cheio de aplicativos, vamos lá

1- O mundo funciona sem o whatssap

Sim amigos, o mundo não gira em torno desse app e por mais louco que possa parecer as pessoas se comunicam sem ele.

Desde que fiquei sem esse app, percebi como as pessoas brigam com você por não responder a elas, sem ao menos te perguntarem se você esta usando ele. Outro ponto importante que observei é como tornam-se excludentes se você não esta presente nos grupos e não tem essa tecnologia, você será um ser estranho que nunca vai entender por completo as conversas aleatórias que surgem por conta do vídeo que fulano mandou, pelo comentário de ciclano, ou por qualquer outra coisa postada a qual você não teve acesso.

2- Você não precisa saber tudo que acontece com todos

De fato você nunca precisou saber tudo que acontece na vida das pessoas, mas com os milhares de monitoramentos criados, sempre sabíamos quem iriamos encontrar nos locais, todos os eventos da cidade e todas as informações desnecessárias sobre a vida das pessoas.

Nada melhor do que você chegar em um lugar qualquer e encontrar aquela pessoa que você não fazia ideia de que estaria lá, ou mesmo você encontrar alguém e perguntar como ele esta o que tem acontecido, e se emocionar com o que a pessoa for te contando sem já previamente ter um boletim completo da vida da pessoa.

Tenho cada vez menos no facebook (esse processo de ligar o computador, entrar, observar a timeline, tem me parecido bem cansativo)

3- Conversar, observar as pessoas, o cotidiano e olhar no olho

Esse é um fator interessante, pois nem todos olham no olho mais. Se você pede a pessoa para conversar e olhar no olho nos dias de hoje parece uma afronta, é como se você estivesse xingando quase que batendo na pessoa, somente pelo simples fato de querer olhar nos olhos, conversar com a pessoa estando presente no tempo/espaço do agora e minimamente dividir esse momento com a pessoa que esta aqui. Mas o ponto numero 3 é importante não somente pela vontade de estar presente no agora com as pessoas, mas um exemplo que observei bastante é que nos restaurantes as pessoas sempre sacam seus celulares e ficam entre uma garfada e outra com ele na mão quase que como um escudo para não haver contato algum com qualquer pessoa daquele ambiente, talvez uma micro fuga da solidão de se fazer a refeição só.

Poder caminhar na rua e observar tudo, também é um super ganho, ver pessoas, pássaros, carros, bicicletas, por do sol, dia a dia.

4- Egoicos e sua onda selfie 

As vezes eu me pergunto onde foi que pararam de dizer vamos tirar foto e começaram a dizer vamos tirar selfie, enfiam suas caras em todas as fotos e passam os dias postando suas fotos como se fosse de verdadeira importância ver os diferentes ângulos do rosto das pessoas.

Pessoal, para! Ta feio!

Vocês viajam para milhares de lugares e tiram fotos somente de si mesmo? Jura que não tinha nada mais legal que você quis de fato mostrar para o mundo, ou mesmo guardar de recordação?

Enfim a onda selfie é algo pavoroso e merece um texto só seu para reflexão…

5- Ao acordar com quem é o seu primeiro contato?

Essa foi a primeira atitude que me fez refletir e repensar minha relação com a tecnologia, antes mesmo de ficar sem ela. Você nem se levantou da cama e a primeira coisa que faz é checar todas suas redes, todas atualizações, ver como esta o mundo. Calma, não acho ruim você querer adiantar seus afazeres, mas como você esta? Você de fato já acordou, respirou, agradeceu a energia vital cosmica de estar vivo? Você teve ao menos tempo de observar sua respiração?

Geralmente a resposta para todas anteriores é “não” pois estamos nos habituando tanto a dormir e acordar segurando o celular que cada fica mais complicado perder o habito e entender qual a real necessidade disso?

6- O tempo 

Eis um fator determinante, já parou para pensar em quanto tempo você gasta checando fotos, vendo atualizações, lendo besteiras do whatssap? Então, eu não fazia noção de que gastava tanto tempo fazendo essas coisas, e olha que gasto super bem meu tempo, mas desde que parei com elas meu tempo triplicou, talvez nós não percebemos como gastamos tempo com essas coisas, mas o fato é que o tempo passa enquanto fazemos qualquer coisa, mas quanto dele vamos dedicar a quais atividades?

7- Eu não vivo dentro da caverna

O fato de não ter celular cheios de app não me faz viver dentro de uma caverna odiando qualquer tecnologia ou mesmo não sabendo utiliza-la. Um grande erro cometido pelas pessoas com celulares modernos é achar que as outras pessoas que não os portam vivem em cavernas, não ter um celular assim é uma opção também, e ainda existe celulares que apenas fazem e recebem ligações e mandam sms e se vive bem somente com eles.

Antes parecia estranho ver as pessoas que se abstinham da tecnologia da telefonia, mas agora entendo o lugar de onde elas falam, não é só por portar um celular ultra moderno que você vai estar de fato presente, ou em convivo com as pessoas, talvez seu convivo seja tão superficial quanto a maneira que você utiliza sua tecnologia.  Há diversas maneiras e algumas pessoas  desenvolvem muito bem o uso da tecnologia a seu favor, otimizando todos pontos colocados nesse texto, ou mesmo com pontos diferentes, mas que fazem desses aparelhos verdadeiras ferramentas para o seu bem.

Enfim esses são alguns dos pontos aos quais pude observar principalmente partindo do meu comportamento e do comportamento de amigos, como dito anteriormente não criminalizo a tecnologia, ao contrario acho que ela é um verdadeiro progresso para nossa geração, mas acho que precisamos repensar a maneira que nós a utilizamos, assim como o valor que ela tem em nosso cotidiano, não se pode trocar o afeto real por mera virtualização. Sou do grupo que acredita que encontraremos a melhor maneira de se utilizar de todos recursos que temos. É preciso tropeços para acharmos o melhor caminho.

Eu particularmente ainda (re)penso o fato de comprar ou não um celular cheio de tecnologia novamente, talvez o fator trabalhos pese ainda mais e eu necessite ter um celular assim novamente, mas uma certeza eu tenho a relação que terei com ele não será tão dependente como em passado recente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s