Veio me decifrou e partiu

Há exatos 261 dias eu escrevia isso e esquecia perdido nos rascunhos, agora próximo de um novo reencontro eu encontro novamente essas escritas… Talvez seja os destinos estranhos dizendo coisas sutis…

  
Te encontrei, ou seria talvez você que houvesse me encontrado? ainda não sei bem quem encontrou quem, tenho a leve impressão que não houve encontro, pois sua maneira espontânea, seu diálogo, sua aproximação não me surgiu de maneira nenhuma de um encontro, algo tão natural não pode ser um primeiro diálogo, aquilo deveria ser registrado na memória como algo comum em um dia qualquer em uma cidade do mundo, com uma viajante solitária em busca de nada específico, apenas de momentos e de vida… é que as vezes precisamos sair em busca de vida, por não mais sentir o ar que preenche nossos pulmões, passamos então a ser o automático de ser, vamos em busca de respirar, de vida, de momentos e principalmente de nada. E foi no meio do nada que então começamos aquela conversa que durou horas, e em apenas poucos segundos, você teve a audácia de me decifrar quase que completamente, deixando alguns detalhes para o longo da conversa, mesmo sem entender tudo o que estava acontecendo naquele momento eu vivi…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s